A saúde dos colaboradores  impacta diretamente na motivação e no lucro da empresa. E no texto abaixo, você irá entender perfeitamente essa afirmação.

Muitos estudos na área de Recursos Humanos já concluíram que aqueles colaboradores que estão satisfeitos com o trabalho que desempenham e com a empresa que fazem parte são em média 10% mais produtivo em relação àqueles que não o são.

Os benefícios de manter seus colaboradores engajados são muitos.  Dentre eles destacamos: a empresa ganha em imagem, fica mais preparada para a competitividade do mercado e, a vantagem mais significativa, a empresa ganha em lucros.

Para a empresa que prima pela saúde de sua equipe, a cada R$ 1,00 investido na promoção e prevenção da saúde do trabalhador, aproximadamente R$ 4,00 são gerados de retorno. Isto significa um lucro de cerca de 300% gerado com o aumento da produtividade e, principalmente, com a diminuição do número de faltas, atrasos ou trabalho em meio expediente que o trabalhador cometeria por motivo de saúde.

Nesta perspectiva, cuidar da saúde de seus colaboradores é uma forma concreta de mostrar a eles o quanto a empresa os valoriza e se importa com eles como pessoas e, não apenas como força de trabalho.

É certo que nenhum profissional se agrada em ser enxergado como uma máquina, que quando der problema será dispensada e esquecida. Por isso, cuidar da saúde dos colaboradores é uma forma das organizações dizerem a eles que deseja que eles se sintam bem e cresçam com a empresa, como profissionais e como pessoas.

Assim, estar atento à saúde de seu pessoal, além de ser um investimento que gera grande retorno, irá evitar que a empresa tenha problemas futuros, como ações trabalhistas, que irão acarretar gastos indesejados com advogados, diminuição em produtividade, custo em treinamentos e adaptação de novos colaboardores às rotinas da empresa.

comprometimento com a saúde do trabalhador, deve buscar:

  • Prevenir riscos de acidente no local de trabalho;
  • Elaborar campanhas de conscientização à saúde no ambiente de trabalho;
  • Diminuir o estresse causado no ambiente de trabalho;
  • Atuar na prevenção do desenvolvimento de problemas relacionados à saúde mental, como depressão, Síndrome do Pânico, Transtorno Obsessivo Compulsivo e entre outros.

O empenho nessas questões irá gerar um círculo de respostas positivas dentro da empresa, sendo uma estratégia que irá fortalecer a cultura organizacional e a imagem da organização.

Imagine o quanto será positivo o seu colaboardor se orgulhar em dizer: “Onde trabalho nossa saúde é sempre colocada em prioridade. Para isso, temos diversas campanhas que buscam a conscientização de valorizarmos à nossa saúde e termos hábitos de vida saudável”.

A importância de investir na saúde do trabalhador

Ao ingressar em qualquer trabalho com carteira assinada, o trabalhador passa uma série de exames admissionais que certificam se sua saúde está favorável para exercer o trabalho do cargo que lhe é oferecido.

Os mesmos exames são repetidos quando o profissional irá se desligar da empresa. Essa é uma obrigatoriedade imposta em lei pelo Ministério do Trabalho, que visa resguardar e proteger a saúde dos trabalhadores.

Muitas empresas acham que somente isso e oferecer um plano de saúde a seus colaboradores já significa que estão cuidando da saúde deles. Quando, na verdade, é o mínimo que deve ser feito.

Apenas essas medidas não indicam que a empresa se importa com a saúde de sua equipe, mas que apenas está cumprindo uma lei trabalhista.

Como escolher um plano de saúde para seus colaboradores

Escolher o plano de saúde ideal para seus colaboradores é uma tarefa que exige bastante atenção.

Devido à precariedade da saúde pública em nosso país, o plano de saúde é um item básico no pacote de benefícios de colaboradores de qualquer empresa.

Contudo, confira 4 pontos que você precisa estar atento ao oferecer um plano de saúde a seus empregados:

  1.  Não poderá voltar atrás: se você cortar esse benefício de seus colaboradores, eles ficarão desmotivados e poderão usar isso contra sua empresa em ações trabalhistas. Por isso, tenha em mente que este será um benefício em longo prazo e que deverá ser estendido a todos os colaboradores que entrarem na empresa;
  1.  Não é barato: apesar de haver pacotes de planos empresarias, em geral, este benefício pode sair caro à sua empresa. Mas, tenha em mente que este é um investimento que trará retorno e contribuirá para a satisfação de seus colaboradores;
  1.  Atente aos detalhes: ao escolher uma operado de plano de saúde atente a todos os detalhes e benefícios do contrato que irá firmar, pois os empregados ficarão desconfiados se a todo momento precisarem mudar de plano de saúde ou se perceberem que a empresa não possui conhecimento claro do serviço que contratou;
  1.  Opte por planos completos: mesmo que saia mais caro, opte por planos que atendam a  todas as necessidades de seus colaboradores, pois de nada adiantará oferecer um plano só na teoria, onde eles precisarão pagar por exames ou esperar bastante para conseguir uma consulta. Certifique-se de que o convênio de saúde oferecido é realmente eficaz.

O que fazer para cuidar da saúde de seus colaboradores de forma eficaz

Uma ótima alternativa é envolva as equipes de trabalho em programas que visem a medicina preventiva, em longo prazo, como:

  • A importância da alimentação saudável;
  • Cuidado com a hipertensão;
  • Campanha antitabagismo;
  • A importância do alongamento;
  • Incentivo à pratica de atividades físicas.

Busque fazer uma pesquisa sobre o que os seus colaboradores mais gostariam de obter informações em temas relacionados à saúde e procure fazer um levantamento sobre os hábitos e estilo de vida deles (se são sedentários, tabagistas, hipertensos, diabéticos  etc), sem, é claro, ser invasivo.

Por isso, sempre deixe claro a sua equipe que é algo que a empresa quer implantar para o favorecimento deles, mas caso não queiram participar, não é uma obrigação, e que em nada irá influenciar no modo que eles serão vistos como profissionais na organização.

Outro fator muito importante, é que os gestores façam com que suas equipes cumpram rigorosamente o horário de almoço e descanso. Você, como gestor, deve ser exemplo e fazer o mesmo, pois se os colaboradores observarem que você passa seu horário de almoço trabalhando, irão pensar que essa é uma atitude aprovada na cultura da empresa.

Assim, de forma alguma, se sobrecarregue e/ou sobrecarregue seus colaboradores ao ponto de eles terem que passar várias horas corridas trabalhando e percam o almoço.

Do mesmo modo, não tenha uma atitude negativa e desencorajadora quando seus empregados precisarem chegar atrasados ou faltar um expediente por motivo de consultas e exames médicos, pois dessa forma você acaba os desencorajando a cuidar da saúde de forma preventiva.

Outra opção que pode fazer diferença, é investir em um espaço para o lazer e descanso de seus colaboradores dentro da empresa, como uma sala de TV, biblioteca, poltronas e sofás confortáveis e etc.

Cumprindo essa agenda, a empresa mostra de forma eficaz que está comprometida com seus colaboradores, já que trata seu capital humano como seu bem valioso. Além disso, o monitoramento contínuo da saúde dos trabalhadores possibilita fazer diagnósticos precoces, o que diminui o risco de que os profissionais sejam acometidos de doenças graves, que façam com que eles se afastem do trabalho.

O impacto negativo do estresse nas organizações

Com o aumento da competitividade e o panorama de recessão econômica, as empresas, na tentativa de continuarem a crescer e sendo lucrativas, acabam colocando pressão nos colaboradores, o que faz com que o estresse emocional seja uma constante nos locais de trabalho.

A elevação da carga horária e o acúmulo de funções também são atitudes amplamente praticadas por empresas de todo o mundo e que contribuem para o aumento do estresse e tensão no ambiente do trabalho.

Quem nunca ouviu alguém falar a seguinte frase: “Eu vivo para o trabalho”? Certamente essa pessoa está cansada e possui uma grande carga de tensão e estresse decorrente do trabalho. Dessa forma, é muito provável que haja uma perda grande em produtividade e na perfeição na execução de funções.

Isso se explica, contudo, quando diversas pesquisas apontam que o estresse no ambiente de trabalho é prejudicial tanto para o empregador quando para os colaboradores.

No Brasil, estima-se que 3,5% do Produto Interno Bruto (PIB) é perdido com despesas relacionadas aos males do estresse no ambiente corporativo isso se deve ao elevado número de colaboradores que se sentem estressados e sob pressão em seus trabalhos.

Os custos que o estresse causa estão relacionados ao tratamento e controle de doenças que surgem ou são agravadas com a elevada tensão na saúde dos colaboradores. Dentre essas doenças, as mais comuns são: a hipertensão, fadiga crônica, gastrite, depressão, doenças cardiovasculares e entre outras.

Estas doenças causadas pelo estresse, ocorrem, pois, a elevada carga de tensão no ambiente de trabalho afeta as funções fisiológicas. Ao se sentir ameaçado, o corpo reage liberando hormônios, a pressão arterial e a frequência cardíaca aumentam bobeando sangue aos músculos e o sistema imunológico diminui sua ação, deixando o corpo mais sensível à doenças causadas por vírus e bactérias.

Essas situações além de comprometer a vida pessoal do profissional, refletem de forma drástica na queda da produtividade, atrasos na entrega de trabalhos, desentendimentos entre empregados e com os gestores, erros, acidentes de trabalho, elevam o índice turnover e a possibilidade de ações trabalhistas.

Fonte: Software Avaliação.

WhatsApp
Enviar