Abrimos o mês de novembro com uma boa notícia. De acordo com dados levantados pelo departamento de SPC Brasil da ACIV, os registros de inadimplência apresentaram grande queda no mês de outubro de 2019, se comparado com outubro de 2018 e setembro de 2019. Outra informação importante é que o número de exclusões aumentou, ou seja, os consumidores buscaram limpar o nome.

Registos

O número de registros indica a quantidade de nomes que foram inclusos no SPC Brasil, durante um determinado período. Quando o número de registros cai, quer dizer que os consumidores pagaram suas contas em dia, evitando a negativação.

Em outubro de 2019 foram realizados 701 registros, contra 1.044 de outubro de 2018, registrando assim uma queda de 32,85%. Se compararmos com setembro de 2019, que houveram 889 registros, também observamos uma queda de 21,15%

Para o professor de economia, Pedro Portugal, dois fatores podem explicar esta queda na inadimplência. “O alto nível de desemprego e de empregos informais que vem ocorrendo já há algum tempo inibe os consumidores a fazerem dívidas, preferindo compras à vista, exatamente para evitar o risco de ficarem inadimplentes e o segundo fator, e talvez o fato principal, a liberação de saque das contas do FGTS que injeta uma quantia considerável de dinheiro no mercado e muitos consumidores aproveitam essa renda extra e pagam as contas”, explicou o professor.

Exclusão

O número de exclusões indica que o consumidor estava com algum débito registrado em seu nome e este débito foi pago ou negociado, ou seja, quanto maior o número de exclusão, melhor. Ainda de acordo com o departamento de SPC Brasil da ACIV, esses números também foram positivos.

Em outubro de 2019 foram excluídos 565 nomes, contra 526 em outubro de 2018, aumento de 7,41%. Se comparado com setembro de 2019, onde houveram 438 exclusões, o crescimento foi de 29%.

Em resumo, durante o mês de outubro os consumidores buscaram manter suas contas em dia e melhor que isso, os que tinham o nome negativado, pagaram ou renegociaram as dívidas. Caso a queda na inadimplência se mantenha em novembro, o comércio poderá ter um aumento significativo nas vendas de dezembro, já que o consumidor utilizará o seu 13º para as compras de natal.

 

WhatsApp
Enviar