Criado em 2017, o Fórum Mundial de Produtores de Café é um ambiente de discussão com agenda preparada pelos cafeicultores com o objetivo de buscar os caminhos mais sustentáveis para a atividade cafeeira global. Na edição 2019 do evento, o Brasil e os demais países produtores tiveram o propósito de abordar e solucionar cenários que comprometam a oferta futura de café.

Após o encerramento do evento, a organização divulgou a declaração final dos participantes, com uma série de quesitos que devem ser estudados para a manutenção da sustentabilidade do setor para os próximos anos. Confira:

“Na cidade de Campinas, Brasil, aos dias 10 e 11 de julho de 2019, reuniu-se o segundo fórum de países produtores de café e, considerando que:O primeiro Fórum despertou a consciência mundial sobre a necessidade de haver sustentabilidade econômica na oferta global de café. Contudo não houve engajamento efetivo dos demais segmentos da cadeia de valor do café para melhorar a remuneração dos cafeicultores.

O estudo do professor Jeffrey Sachs, da Universidade de Columbia, destacou a necessidade de haver interação entre todos os agentes da cadeia para o desenvolvimento de ações globais, além das já realizadas por cada país, havendo corresponsabilidade de todos os agentes públicos e privados do negócio café para garantir a implementação da sustentabilidade em suas dimensões econômica, ambiental e social.

A oportunidade de desenvolvimento de novas tecnologias para aprimorar as formas tradicionais de comercialização de café, aproximando produtores de consumidores e gerando agregação de valor nas origens.

A importância de estímulos ao aumento do consumo mundial de café, em especial nos países produtores e mercados emergentes, para garantir equilíbrio entre oferta e demanda e, consequentemente, preços remunerativos aos cafeicultores.

Resolve:

Promover a criação de uma plataforma tecnológica para agregar e disponibilizar informações e números de todos os segmentos da cadeia de valor do café, de forma a gerar transparência comercial e na formação de preços.

Desenvolvimento de mecanismo que facilitem a disponibilização das informações das origens produtoras, por meio da rastreabilidade dos produtos oferecidos e suas especificidades aos consumidores finais.

Promover a capacitação dos produtores, por meio de assistência técnica e extensão rural para a profissionalização em gestão da propriedade e aquisição de conhecimento sobre os riscos de mercado.

Estímulo ao desenvolvimento de estratégias inovadoras e campanhas para a promoção do consumo de café, principalmente nos países produtores e mercados emergentes.

Desenvolver mecanismos, estratégias de marketing e inovações tecnológicas que permitam se alcançar um preço remunerativo aos produtores, tais como selos de “sustentabilidade econômica” e “torrados pela origem”.

Incentivar que cada origem produtora, a nível publico e privado, desenvolva um plano nacional de sustentabilidade para o setor café.

O Comitê do WCPF tomará providências para a formalização de uma entidade jurídica que planejará a execução dessas estratégias.

O seguinte Fórum de países produtores será realizado em 2021. O comitê coordenará com os países qual a cidade que sediará o próximo evento.

Esta declaração foi feita em Campinas, aos 11 dias de julho de 2019.”

 

Fonte: Notícias Agrícolas e divulgação WCPF

WhatsApp
Enviar